Quem sou eu

Lea Rocha Lima e Marcondes

Escritora, terapeuta e mentora de ministérios transculturais

Lea Rocha Lima e Marcondes - Terapeuta Relacional especialista em Transição Cultural

Olá, eu sou a Lea, natural de Curitiba e hoje moro em Portugal. Fui casada com Aluízio por 36 anos, e viúva desde 2011. Tivemos dois filhos: Alexandre, casado com Viviana, e Michael casado com Ester. Ambos têm três filhos cada um.

Em junho de 2012 comecei a pedir a Deus por um novo projeto de vida, pois o ministério que exercia junto com meu marido ficou emocionalmente difícil de continuar. Deus iniciou a me expor a situações de missão de diversas maneiras: sermões, estudos e desafios contínuos.

Desafios Missionários

Primeira viagem missionária

Minha primeira viagem missionária foi para o Haiti em 2013, onde pude experimentar a mudança de olhar no trabalho evangelístico em outra cultura.

Ao voltar, elaborei um projeto de missões para o ministério infantil da igreja que congregava. Ali coordenei Missões Kids por 5 anos .

Foto: Trabalho numa escola no Haiti

Capacitação especializada

Em 2016 fui desafiada a fazer o ETED da Jocum, e decidi ir para a Alemanha, na base da cidade de Altensteig.

Lá passei 3 meses em treinamento, dentro de um contexto cultural totalmente diferente do meu e aprendendo sobre missão transcutural.

Foto: Cidade de Altensteig

Resposta de Oração

Como parte prática do curso, nosso grupo foi para a Uganda em 2017 e lá fiquei por 3 meses trabalhando com evangelismo nas vilas, trabalho nas igrejas e escolas. 

Estas duas experiências foram um presente de Deus recebido 50 anos depois de pedir a Deus. Explico por que digo isto.

Foto: Uganda – ministração numa vila

Estudei no colégio Martinus em Curitiba, colégio de formação luterana. Tínhamos culto todos os dias antes de entrar em classe. Aos 12 anos escutei pela primeira vez sobre missões e pedia constantemente para ser missionária na África.

Foto: Aula para crianças da escola na Uganda

Também estudei alemão nesta época e convivi com minhas colegas e suas famílias alemãs. Foi a minha primeira exposição a uma cultura diferente da brasileira. 

Eu desejava morar um dia na Alemanha, experimentar a cultura, falar alemão que muito me agradava. A vida passou e isto nunca aconteceu. 

Foto: Ministração com as crianças na escola em Uganda

Mas Deus não esquece as orações, principalmente as das crianças. E Ele respondeu no tempo e momentos certos.

Ao longo desses 50 anos Ele me preparou tanto como pessoa quanto como profissional exatamente para a missão que exerço agora.

Foto: Nossa equipe na Uganda conhecendo o rio Nilo

Minha trajetória pessoal e profissional

Sou Bióloga e Psicóloga de formação, transitei nas áreas escolar, clínica, formação de professores e lideranças, sempre com o foco no desenvolvimento pessoal, profissional e ministerial, visando a qualidade da área emocional e psíquica da pessoa e sua família.

Me considero uma pessoa “resolvida”, madura emocionalmente, que circula com tranquilidade nos seus relacionamentos tanto pessoais quanto profissionais/ministeriais.

Foto: Atividade da ETED

Minhas experiências transculturais e maturação que a vida proporcionou me prepararam para o exercício do meu projeto ministerial “Cuidando dos que servem”.

Para mim é fundamental que o obreiro e sua família estejam saudáveis na área emocional e nos seus relacionamentos.
Afinal, equilíbrio emocional e o relacionamento são os nossos principais instrumentos de trabalho para Cristo e expor a Palavra de Deus:

“E será pregado este Evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.”
– Mateus 24:14

Foto: Trabalho numa escola na Uganda

Importância do cuidado integral

Um obreiro maduro emocionalmente, que conhece os seus potenciais e as suas vulnerabilidades, tem bom relacionamento com seu cônjuge e filhos, lida de forma mais equilibrada com os conflitos que naturalmente acontecem com parceiros de trabalho. Ele também atua no seu ministério com mais eficiência e segurança, tem maior probabilidade de uma boa adaptação cultural e frutificação saudável no seu trabalho.

“Não é possível ser espiritualmente maduro enquanto se permanece emocionalmente imaturo.”
– Peter Saczzero

Meu trabalho na Crossover Global

Ao entrar na CG descobri constatei que muitos povos ao redor do mundo nunca ouviram falar de Cristo, não sabem nada sobre a Biblia , não conhecem seus princípios. Uma estatística muito maior do que imaginava.

São chamados de povos não alcançados (PNA). Ao saber disto minhas primeiras indagações entre outras foram:

  • Como preparar emocionalmente o obreiro e sua família para enfrentar os desafios do campo dos PNAs?
  • Que aspectos do seu perfil de personalidade ele precisa conhecer para lidar com maturidade e equilíbrio diante dos enfrentamentos com que se depara?

Para responder esses questionamentos e outros da área do preparo emocional, aprofundei minhas pesquisas, busquei recursos que experimentei na minha trajetória profissional e desenvolvi protocolos com uma metodologia específica e ações práticas para preencher esta lacuna.

Hoje, aplico esses protocolos no trabalho que faço com mentoria, aconselhamento e na terapia relacional com foco preventivo e emergencial quando necessário. Minha vivência pessoal, estudos e a prática com a clínica, capacitações, trabalhos com grupos, com famílias e crianças me proporcionaram todo o preparo que necessitava para o projeto que Deus desenhou para esta época da minha vida: “Cuidando dos que servem”.

Tem sido muito gratificante participar do preparo daqueles que vão levar a palavra a outros povos e vê-los alçando “novos voos” na sua vida pessoal e ministerial alcançando aqueles que necessitam da luz de Cristo.

Foto: Base da Crossover Global em Curitiba

Meu convite a você

Quero convidar você a missionar comigo nesta tarefa tão importante de instrumentalizar os obreiros nas áreas emocional e relacional.

Como você pode se engajar comigo nesta missão?

De muitas formas! Veja abaixo

  • Entrando em contato pessoal comigo para que possamos nos conhecer e assim iniciarmos a parceria relacional nessa missão:
    • Gosto de me relacionar pessoalmente com todos que acompanham o meu trabalho e conheçam mais detalhadamente o projeto “Cuidando dos que servem”
  • Faça parte da minha equipe de suporte em oração, operacional e/ou financeiramente.
  • Você pode ajudar orando especificamente:
  • Você pode convidar pessoas para compreenderem a importância do preparo emocional do obreiro que trabalha para alcançar aqueles que não tem acesso ao evangelho
    • A importância do cuidado precisa ser mais divulgada e mais bem compreendida no meio da igreja
  • Você pode participar financeiramente do projeto “Cuidando dos que servem” ofertando para cobrir os custos com materiais e deslocamentos necessários. Link para oferta: https://crossoverglobal.transforme.tech/doeagora/111

Vamos missionar juntos!
Espero o seu contato.

Rolar para cima